DIEESE: Salário mínimo deveria ser R$ 3.777,93. Mas para Temer, R$ 500,00 seria o correto

22/06/2016 12:49

Da Redação

Segundo o conceituado Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - DIEESE -, o salário mínimo brasileiro no último mês de maio deveria ter sido R$ 3.777,93. Departamento calcula cientificamente o valor com base no índice real do custo de vida e no que reza a Constituição Federal de 1988 no seu artigo 7° inciso IV:

"Salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim".

Para o governo golpista MIchel Temer (PMDB), no entanto, o Brasil "não tem produtividade" sequer para pagar os R$ 880,00 ora em vigor no país. Pelas regras já anunciadas pelo peemedebista, o mínimo em 2016 seria de apenas R$ 500,00, caso essas normas estivessem em vigor desde 2004, ano em que Lula assumiu a presidência da república.

As regras Temer preveem reajustes para o mínimo baseados somente na inflação oficial do ano anterior. O golpista quer, assim, retirar o ganho real deixado pelas gestões petistas, resultado da inflação somada à elevação do PIB dos dois anos anteriores. Por isso é que o crescimento real do mínimo cairá, caso temer não seja enxotado da presidência da república.

As centrais sindicais devem mobilizar os trabalhadores pelo piso do DIEESE. Neste sentido, o primeiro passo é restabelecer o mandato da presidenta Dilma Rousseff (PT), para que pelo menos a política de ganho real do mínimo já conquistada seja mantida.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net