Educadores rejeitam parcelamento do piso e iniciam greve geral no Piauí

15/02/2016 14:50

Da Redação

O governador Wellington Dias (PT) manteve proposta de parcelar o reajuste de 11,36% do piso do magistério em onze prestações (antes eram doze) e educadores iniciam greve geral por tempo indeterminado na rede estadual do Piauí. 

Assembleia inaugural do movimento contou hoje (15.02) com a presença de milhares de pessoas. Dirigentes da CNTE e representantes de mais quinze estados do país também partiparam, conformando assim um grande Ato Nacional em defesa dos profissionais da educação e das escolas públicas.

Além do piso dos professores, pauta da greve exige também reajuste para os administrativos, fim da militarização das escolas e das terceirizações feitas através das chamadas "Organizações Sociais".

Intransigentemente, governo diz que o máximo que aceita dessa pauta é "estudar" o caso dos administrativos.

Categoria reage e diz que Wellington Dias não passa de um caloteiro. "Esse governador Wellington é mestre em fazer promessas e não cumprir. Ou paga o piso de uma vez só ou greve poderá se estender por todo o ano", declarou a professora Nilza Mendes, de Teresina.

Quarta-feira (17.02) ocorrerá nova assembleia geral da categoria. Será no Clube do Sinte-Pi, a partir das 8:00 horas.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net