Era só o que faltava: FHC propõe baixar o salário mínimo!

03/01/2016 10:14

Pela lógica de FHC e seu partido, em vez dos R$ 880,00 anuciados, o correto seria um mínimo de R$ 874,00, baseado apenas na inflação oficial

Por Samira Passos, Rio de Janeiro-RJ  -  Imagem: Agência Brasil

Parece até coisa do Sensacionalista ou do Extra Hora. Mas não é. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em entrevista recente ao Rede TV, declarou: "Chegou um momento que você tem que olhar a produtividade. Quando o salário está muito acima da produtividade, cria problema". Ou seja, em português claro, o tucano propõe baixar o salário mínimo, já que, na opinião dele, está muito alto, o que gera problemas ao país.

Pela lógica do PSDB, em vez dos R$ 880,00 anuciados, o correto seria um mínimo de R$ 874,00, baseado apenas na inflação oficial de 2015, em torno de 10,97%.

Entenda

FHC e seu partido sempre se posicionaram contra a que o salário mínimo fosse reajustado acima da inflação oficial, como ocorre desde os governos Lula. O petista, como todos sabem, criou nova fórmula para reajustar o mínimo e, além da inflação oficial, incorporou também o crescimento do PIB referente a dois anos antes de cada aumento. Com isso, a correção do mínimo passou a ser um pouco maior que a inflação oficial. Assim, em vez de reajuste de 10,97%, o mínimo teve acréscimo de 11,6%. Fernando Henrique, embora o Brasil esteja entre as dez maiores economias do planeta, diz que isso é incorreto porque nossa produtividade é baixa.

Na verdade, o que é baixa mesma é mentalidade desse senhor, em contraposição à sua defesa dos grandes capitalistas, que é altíssima.

O salário mínimo brasileiro, na prática, continua a ser muito baixo, sobretudo se comparado a outros países de mesma densidade econômica. Segundo o DIEESE, os atuais R$ 880,00 correspondem apenas a cerca de 25% do valo real que deveria estar sendo pago como mínimo para que um trabalhador possa ser atendido em suas necessidades básicas, em particular alimentação. Isto inclusive é o que reza a Constituição Federal em seu artigo 7 - IV.  Cálculo científico desse DIEESE, por exemplo, indica que em novembro de 2015 o mínimo já deveria ser R$ R$ 3.399,22. Clique e leia

O Brasil precisa é avançar em sua política salarial. O erro do petismo é ainda estar muito atrasado em relação a isso, embora a nova fórmula que criou para o mínimo seja positiva. A classe trabalhadora deve ir em frente e lutar pelo piso do DIEESE. 

Por fim, a não ser banqueiros e grandes empresários, ninguém deve dar ouvidos ao FHC. Com todo respeito, o lugar dele é na lata de lixo da História. Tem que parar de falar tanta besteira.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net