Governador debocha e propõe 0,94% de reajuste aos professores até dezembro de 2016

13/02/2016 13:13

Da Redação / Imagem: Agência Brasil

Em reunião (11.02) chamada às pressas com o Sinte-Pi, o governador Wellington Dias, do PT, propôs pagar o piso dos professores a passos de tartaruga. A ideia é dividir o reajuste de 11,36% em parcelas nos meses de janeiro, agosto e dezembro. Ou seja, ao final de doze meses 0,94% mensais terão sido acrescidos ao salário-base dos educadores. A desculpa do governador: a crise mundial.

Tal proposta indecente, é claro, não agradou em nada o magistério do Piauí, que iniciará greve geral por tempo indeterminado a partir de segunda-feira, 15.02. "Esse Wellington é um debochado e quer é desviar o dinheiro do Fundeb para outros fins", declarou indignada a professora Conceição Tavares, de Teresina.

O professor Fernando Lopes, por sua vez, afirma que agora é que a greve se fortalecerá mesmo. "Não devemos iniciar o ano letivo enquanto os 11,36% não forem pagos retroativos a janeiro e de uma vez só", desabafa.

Muito dinheiro

Apesar da choradeira do governador petista, dados do Banco do Brasil comprovam que os cofres públicos estaduais estão é abarrotados de dinheiro. Somente de recursos do Fundeb, entraram nas receitas do Estado do Piauí R$ 91.214.482,45. E isto apenas no período de 13.01.2016 a 13.02.2016. Ou seja, trinta dias. Para aonde Wellington envia tanta grana?

Os educadores piauienses estão certos em não iniciar o ano letivo enquanto o piso da categoria não for pago corretamente, como reza a lei 11.738/2008. Greve geral é a saída contra os carrascos do magistério.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net