Impeachment: Deputados podem dar golpes dos dois lados

09/04/2016 16:41

A rigor, pode-se dizer que Dilma só conta mesmo com o voto certo dos parlamentares do PCdoB e PT, com a ressalva feita por alguns analistas de que mesmo alguns petistas podem amarelar, a exemplo do senador Delcídio do Amaral, que delatou seu próprio partido

Da Redação

É absolutamente impossível alguém afirmar com precisão se o impeachment da presidenta Dilma (PT) vai ou não vai passar na Câmara dos Deputados. É que até o último minuto que antecede a votação, cada parlamentar (de um lado ou outro) pode mudar de posição, para atender a conveniências pessoais.

A rigor, pode-se dizer que Dilma só conta mesmo com o voto certo dos parlamentares do PCdoB e PT, com a ressalva feita por alguns analistas de que mesmo alguns petistas podem amarelar, a exemplo do senador Delcídio do Amaral, que delatou seu próprio partido.

Nessa trama, o que está mesmo por trás são profundos interesses econômicos. Se por um lado o governo dispõe de cargos para legitimamente recompensar possíveis aliados nessa situação, os oposicionistas, como se sabe, são financiados por grandes empresas nacionais e estrangeiras, além de bancos. 

Na prática, o que não vai faltar mesmo é dinheiro para convencer "indecisos" ou mesmo os que por ventura, às vésperas da votação, estejam já decididos por um dos lados.

É preciso, assim, atenção redeborada. E, nesse particular, Dilma, Lula e o PT devem ficar de olhos muito mais abertos.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net