Impeachment golpista é anulado e congresso não tem condições de nova votação

09/05/2016 12:10

Da Redação

Reviravolta em Brasília. Waldir Maranhão (PMDB-MA), substituto de Eduardo Cunha na presidência da Câmara dos Deputados, anulou nesta segunda-feira 9 a sessão que autorizou o impeachment golpista da presidenta Dilma Rousseff  (PT).

Maranhão atendeu a um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), apresentada pelo ministro José Eduardo Cardozo.

Entre os pontos alegados pela AGU estão o de que na votação de impeachment não cabe antecipar votos e e nem orientação de bancadas. 

O PT e todas as forças de esquerda e democráticas do país não devem aceitar que esse Congresso faça nova votação de impeachment. A maioria dos deputados e senadores defensores do golpe está toda implicada em gravíssimas denúncias de corrupção, tal qual Eduardo Cunha, portanto não têm moral para julgar um processo como esse. Jurídica e politicamente esse impeachment deve ser enterrado.

É preciso também, agora mais que nunca, intensificar os protestos de rua em defesa do mandato da presidente Dilma e da democracia no país. Não vai ter golpe!

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net