Ditadura: Temer demite conselheiros favoráveis ao piso nacional dos professores

29/06/2016 14:15

Da Redação

O golpista Michel Temer (PMDB) demonstra cada vez mais que não está para brincadeira quando o tema é atacar a escola pública e os profissionais da educação. Após restringir gastos nessa pasta ao percentual apenas da inflação oficial, cortar 90 mil vagas no Fies e abortar 1,4 milhão de vagas no Pronatec, o peemedebista revogou, arbitrária e autoritariamente, o mandato de 12 (doze) conselheiros do Conselho Nacional de Educação - CNE.

Segundo a professora Ana Amélia Fernandes, de Brasília, os conselheiros tinham mandatos de quatro anos assegurados em regimento do CNE e foram nomeados na véspera do afastamento ilegítimo da presidenta Dilma (PT). Ana Amélia destaca que Temer demitiu conselheiros que, por coincidência, defendem elevar as verbas para a educação pública e valorizar o piso nacional dos professores. 

Em relação a esse piso, a proposta de Temer e seu ministro Mendonça Filho é cortar o crescimento real que ele tinha através da correção anual pelo mesmo índice de crescimento do custo-aluno.

Em repúdio ao ato ditatorial do governo golpista, uma manifestação hoje (29.06) na sede do Ministério da Educação impediu o ministro interino, Mendonça Filho, e seus assessores de entrar no prédio do MEC. Segundo o portal Brasil 247 eles tiveram que se deslocar para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão vinculado à pasta. É a primeira vez que o MEC é ocupado desde 2002.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net