Ministro se camufla de escritor para tentar passar despercebido ao defender na Folha corte de disciplinas no Ensino Médio

17/10/2016 07:42

 Imagem: Agência Brasil

Da Redação | O ministro Mendonça Filho (DEM), em seu pouco tempo à frente do MEC, tem protagonizado episódios reconhecidamente mirabolantes para tentar afundar ainda mais o ensino do país, sobretudo a educação básica pública.

Em artigo publicado ontem (16) na Folha de S. Paulo, Mendonça se camuflou de escritor para defender a Medida Provisória que impõe a Reforma do Ensino Médio e a exclusão de várias disciplinas dessa etapa de formação dos estudantes. 

A ideia de defender o fim de matérias escolares em artigo e não em entrevista é para tentar se passar como alguém de fora do governo, um intelectual respeitável, por exemplo. 

Veja trecho do que ele diz:

"Há consenso de que o modelo atual não desperta no aluno o interesse pela escola. Seja pela defasagem entre o ensino e a realidade cotidiana, seja pela falta de perspectiva de futuro ou pelo excesso de disciplinas". (Grifo nosso).

Isto mesmo que você leu: o camuflado Mendonça Filho diz que há "excesso de disciplinas". Logo, defende também que é preciso cortar algumas delas, embora não tenha coragem de assumir isso explicitamente.

Segundo dezenas de análises já feitas por especialistas, Temer e seu ministro querem fundir todo o conteúdo das 13 disciplinas obrigatórias ora atuais em apenas quatro áreas. Na prática, querem meter a tesoura em nove matérias e atrasar ainda mais a consciência dos alunos..

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net