Não pode haver direitos trabalhistas eternos no Brasil, diz Temer na China

04/09/2016 07:29

 Imagem: Agência Brasil

Por Camilla Torres, Brasília | Em visita à China, Temer declara a investidores (leia-se especuladores) que não haverá direitos trabalhistas eternos no Brasil. Com tal afirmação, o presidente golpista tenta vender o país para grandes empresários. Segundo o portal da Folha de S. Paulo (04.09.2016), os chineses são os maiores compradores de empresas brasileiras neste ano.

A estratégia de Temer e sua equipe econômica é convencer mega empresários de outros países que eles poderão lucrar ainda mais com as reformas trabalhista e previdenciária que pretende fazer. Com a primeira, trabalhadores podem perder 13º salário, férias remuneradas dentre outros direitos contidos na CLT. Com a segunda, idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres passa a ser de 65 anos. Um paraíso de fato para os grandes capitalistas.

Especuladores estrangeiros, no entanto, estão com um pé atrás com o governo golpista. Enquanto o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) prega na China que o Brasil entrou num clima de normalidade com a consumação do golpe e o afastamento definitivo da presidenta Dilma, jornais chineses noticiam conflitos violentos nas ruas paulistanas. "Desse jeito não dá para acreditar", disse um grande empresário ligado ao G20.

Na verdade, os especuladores de outros países já perceberam que o Brasil entrou numa fase ainda mais grave de instabilidade política e econômica. O golpe rachou ainda mais o país, e o que pode ocorrer no Brasil é um acirramento cada vez maior nas ruas, inclusive com prenúncio de greve geral. Com isso, fica praticamente impossível ao golpista Temer angariar qualquer apoio ou credibilidade internacional.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net