Não se trata de gostar ou não do PT: A saída possível e necessária hoje é derrotar o golpe!

25/03/2016 23:29

Da Redação

Apesar do indiscutível caráter antipovo e reacionário dos que defendem derrubar Dilma e aniquilar o PT, alguns poucos dentro da esquerda ainda relutam em aceitar que um golpe de Estado (inclusive com viés fascista) esteja em curso no Brasil. PSTU e setores do PSOL, em particular a corrente de Luciana Genro, vagueiam nessas fileiras.

Tais organizações se apegam ao discurso antimarxista de que Lula, Dilma e o PT já são o suprassumo dos interesses maiores da burguesia. Assim, o melhor seria chamar eleições gerais já para presidente e tudo mais. Curiosamente, se dizem contrários ao impeachment. Isto é um grande equívoco, para não dizer outra coisa.

Ora, é certo que o PT, nestes seus quatro mandatos, aplicou e aplica políticas pró capitalistas, tais como o arrocho fiscal e tantas outras. No entanto, basta ver quem está por trás do golpe para se perceber com clareza que a derrubada de Dilma certamente significará muito mais arrocho aos trabalhadores e perdas de garantias democráticas conquistadas a duras penas pelo povo brasileiro.

Ou será que o PSTU e Luciana Genro creem que a FIESP, CNI, PSDB & Cia querem derrubar o governo para revogar todas as medidas impopulares implementadas por Lula e Dilma? E será que acreditam também que têm qualquer chance nessas tais eleições gerais que tanto pregam? Ou ainda que teriam suas lutas respeitadas democraticamente em um governo do PSDB ou congênere?

É preciso que se compreenda que não se trata de gostar ou não gostar do PT e seus governos. Na atual conjuntura, a única saída possível e necessária é derrotar o golpe e impedir que mais retrocessos aconteçam. PSTU e Luciana Genro precisam rever suas posições. Enquanto há tempo.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net