Para R$ 39 mil: Parlamentares querem novo aumento salarial e governo acena para ainda este ano

05/10/2016 04:46

O povo rejeita o desejo dos parlamentares. "É um caso de polícia", afirma o professor paulista Sávio Medeiros

Por Fábio Assunção, Brasília | Deputados e senadores continuam a pressionar o ilegítimo governo Michel Temer por aumento salarial ainda para 2016. Parlamentares querem subir dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil, mesmo valor concedido em junho deste ano aos ministros do STF. Segundo bastidores de Brasília, Temer diz que "é possível, sim conceder o reajuste". No entanto, estaria a alegar que isso poderia fazer sua popularidade despencar ainda mais em todo o país.

Principais líderes dos partidos que apoiaram o golpe de Estado que levou Temer ao Planalto afirmam no entanto que o presidente precisa ter pulso forte e fazer o que o Brasil precisa, e não o que "meia dúzia" de manifestantes querem. De acordo com assessores parlamentares na Câmara, PSDB, DEM, PMDB e cia dizem que não dá mais para esperar. "O aumento tem que sair logo".

Medidas

Para atender a essa reivindicação dos aliados no Congresso, o governo estuda várias medidas, como a edição de mais impostos, inclusive com a aceleração da volta da CPMF. Equipe econômica diz também que a PEC 241 equilibrará as finanças do país, pois gastos constitucionais com saúde e educação, por exemplo, ficarão menores, vez que serão indexados apenas à inflação oficial do ano anterior. "Com mais dinheiro em caixa, reclamações de deputados e senadores poderão ser atendidas", dizem ministros

Opinião pública é contra

O povo, porém, rejeita o desejo dos parlamentares. "Que absurdo esse bando de sanguessugas quererem mais aumento salarial enquanto o povo vive no aperto", diz a pernambucana Celina Almeida, dona de casa. "Era só o que faltava, não trabalham e querem engolir mais dinheiro público", desabafa a comerciária Sônia Vasconcelos, de Fortaleza-CE. "É um caso de polícia", afirma o professor paulista Sávio Medeiros.

Dê também sua opinião na enquete abaixo e/ou comente pelo facebook