Professores criticam militarização de escolas e propõem lotar secretária de educação num quartel

15/02/2016 17:27

Da Redação

Uma das principais pautas da greve da rede estadual de educação do Piauí é a militarização de escolas públicas feitas pela secretária Rejane Dias, esposa do governador Wellington Dias, ambos do PT. 

A medida é combatida pelo Sinte-Pi, pela ampla maioria dos educadores e por muitos pais e mães de alunos. Dirigentes nacionais da CNTE e CUT estiveram em Teresina para dar apoio ao movimento grevista e criticaram também bastante tal iniciativa do governo.

Para muitos educadores, o governador deveria afastar Rejane Dias da Seduc e designá-la para exercer algum cargo num quartel. "Se ela gosta e acredita tanto assim na PM, que vá logo para onde a PM está", diz a professora Sônia Assunção, de Teresina.

O movimento grevista promete explorar bastante o tema durante o decorrer das mobilizações. Quem entende de escola pública são os profissionais da educação. Militares não devem e nem podem dirigir estabelecimentos de ensino.

Voltar

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net