Atenção! Empresário articulador do golpe propõe cortar direitos trabalhistas

Atenção! Empresário articulador do golpe propõe cortar direitos trabalhistas

25.03.2016  21:41

Da Redação / Imagem: You Tube

Benjamin Steinbruch, presidente da Fiesp e da CSN, é um dos principais articuladores do golpe de Estado ora em curso no Brasil. Dentre suas medidas caso conseguisse derrubar Dilma e aniquilar o PT e toda a esquerda do país está o que chama de flexibilização nas leis trabalhistas. Na prática é retirar o que está como lei na CLT e colocar tudo para negociação. Ver vídeo no final.

Caso isso passasse, direitos como 13º salário, férias remuneradas, descanso semanal remunerado e outros, tudo isso seria colocado como pauta de reivindicação, tal como se faz quando, por exemplo, se está em campanha salarial ou em greve.

Ora, pelo que está na CLT todos esses direitos já estão garantidos, sem necessidade de que o trabalhador tenha que fazer qualquer luta por eles. Alguém precisa fazer greve para receber 13° ou tirar férias remuneradas? Não. No entanto, se essa ideia de flexibilização passar, é isso que vai ocorrer, ou seja, para receber um direito já consagrado desde a década de 1940 o trabalhador terá que ir negociar com o patrão. Um retrocesso, portanto.

É preciso que todos fiquem atentos. Por mais que se tenha críticas a Dilma, Lula e PT, o golpe tramado por grandes empresários e corruptos como Eduardo Cunha e Aécio Neves visa atacar violentamente os direitos dos trabalhadores, públicos ou privados. Por isso, não pode ter golpe.

Veja o vídeo abaixo e observe que, mesmo antes de derrubar o governo os barões já falam, ainda que de forma dissimulada, em piorar a vida dos trabalhadores. Para eles, os operários têm folga demais na fábrica.

Receba atualizações

Assine a nossa newsletter:

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net