Piso 2016: Governos tentam enganar o ministro e são desmascarados

Piso 2016: Governos tentam enganar  o ministro e são desmascarados

06.02.2016  09:04

Da Redação

Gestores governamentais de todo o país foram a Brasília no final de janeiro pedir uma verba complementar da União para, segundo alegaram, cumprir o reajuste de 11,36% no piso dos professores. Recursos extras viriam através do Fundeb.

O MEC disse não. O ministro Aluisio Mercadante, economista por formação, lembrou a prefeitos e governadores que os mesmos já passaram a receber desde janeiro, através do próprio Fundeb, o dinheiro para pagar o piso dos educadores. Mercadante inclusive ressaltou que mensalmente manda acima dos 11,36% relativos ao píso do magistério.

O MEC sugeriu aos gestores, dentro da pauta solicitada, que abram as contas de suas administrações aos técnicos do Ministério da Fazenda. Caso seja comprovado que algum estado ou município de fato não pode pagar o reajuste, aí sim, a União manda a verba complementar, como inclusive já determina a Lei 11.738/2008.

Diante da proposta do ministro, prefeitos e governadores voltaram para casa, cabisbaixos. Afinal, eles sabem que se forem investigadas suas contas, ficará comprovado que não pagam o piso porque não querem.

Greve é a saída para desmascarar ainda mais todos os prefeitos e governadores que se negam a pagar o piso dos professores. O Piauí já saiu na frente em relação a isso e decidiu não iniciar o ano letivo de 2016 enquanto o reajuste não for pago.

Contato

© 2015-2016 Todos os direitos reservados - Reprodução de arquivos apenas com citação da fonte e link para o site

midiapopular.net